Réseau Syndical International de Solidarité et de Luttes


mardi, 19 septembre 2017

 
 

 

ITALIA | Por direito à greve e contra demissões, todo apoio aos trabalhadores da Alitalia

Accueil > Moções > ITALIA | Por direito à greve e contra demissões,

A CSP-Conlutas, por meio da RSISL (Rede Sindical Internacional de Solidariedade e Lutas), expressa apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da empresa aérea italiana Alitalia.

Estes camaradas, que estão há alguns meses em luta contra um plano de reestruturação de cargos que implicará em demissões e mais precarização no trabalho, nos enviaram apoio no dia da última Greve Geral (30/6).

Agora, divulgamos nossa solidariedade a esta luta justa que já soma 6 greves e muitas mobilizações nos últimos meses.

Confira moção de apoio da RSISL abaixo :

CAMPANHA INTERNACIONAL DE SOLIDARIEDADE COM A LUTA DAS TRABALHADORAS E TRABALHADORES DA ALITALIA

NÃO ÀS DEMISSÕES ! DEFENDAMOS O DIREITO À GREVE !

As trabalhadoras e os trabalhadores da Alitalia estão há já alguns meses a levar a cabo uma luta dura contra o plano de reestruturação e venda a baixo custo da companhia, um plano sustentado pelo Governo e pelos acionistas que implica o corte de milhares de postos de trabalho, reduções salariais e o aumento do horário de trabalho. Este plano também é apoiado pelas confederações sindicais Cgil, Cisl e Uil.

Os sindicatos de base, a partir do Cub Transporti, organizaram 6 greves e grandes manifestações de protesto no Aeroporto de Fiumicino na cidade de Roma, reivindicando a nacionalização e o relançamento da companhia. As greves tiveram uma grande adesão, levando ao cancelamento de centenas de voos.

Empresa e centrais sindicais trataram de usar a chantagem, propondo aos trabalhadores da Alitalia um referendo para aprovar 1800 despedimentos e cortes salariais. O Governo, na pessoa do primeiro ministro Gentiloni, também interveio na consulta do referendo a favor do SIM (sustentado por toda a imprensa e estações de televisão) e ameaçando dissolver a companhia caso ganhasse o NÃO. O sindicado Cub Transporti, juntamente com o Air Crew Committee, dinamizaram o Comité pelo NÃO com uma indicação clara de voto no NÃO : o NÃO venceu, contra as indicações do Governo e Cgil, Cils e Uil, conseguindo 67% dos votos dos trabalhadores.

Apesar da vitória do NÃO, apesar do sucesso das greves, a Alitalia continua a dar seguimento ao seu projeto de reestruturação e, com o apoio tácito do Governo e dos sindicatos burocráticos, ativou um fundo de desemprego (“cassa integrazione” : uma medida que impede os trabalhadores de trabalhar e que reduz o salário) para 1400 trabalhadores, entre os quais alguns ativistas sindicais do Cub Transporti.

Para além disso, o Governo, sempre apoiado pelos sindicatos burocráticos, depois do sucesso da greve geral de 16 de junho – uma greve geral de todos o setor dos transportes e logísticas lançada pelos trabalhadores da Alitalia e apoiada por muitos sindicatos de base – anunciou medidas para limitar o direito à greve nos transportes, direito que, em Itália, já é objeto de muitas restrições.

Nós, organizações sindicais e ativistas sindicais :

- Rejeitamos o plano de reestruturação e a venda a baixo custo da Alitalia com milhares de demissões !
- Rejeitamos as tentativas do Governo e das burocracias sindicais de limitarem o direito à greve !
- Queremos que seja respeitada a vontade da maioria dos trabalhadores, que em referendo rejeitaram o plano de reestruturação, os despedimentos e os cortes salariais !
- Expressamos solidariedade ao sindicado Cub Transporti, que está a organizar as greves contra os ataques do Governo e da empresa !

mail : solidarity.alitalia@libero.it